O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, por unanimidade, decidiu por manter a condenação de Lula, elevando-se a pena inicialmente imposta.

Neste Quarta-feira, 24 de janeiro de 2018, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede no estado do Rio Grande do Sul, manteve a condenação do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, exarada pelo juiz Sérgio Moro no fatídico caso do tríplex.

A decisão unânime (3x0) a favor da manutenção da condenação e elevação da pena para 12 anos e 1 mês de reclusão em regime fechado (Moro havia o condenado a 9 anos e 6 meses) culminou na impossibilidade de a defesa do ex-presidente Lula opor de embargos infringentes ou embargos de nulidade.

Nesse senda, no âmbito do TRF4, resta à defesa a oposição de eventuais embargos de declaração.

Ademais, o ministro revisor, Paulsen, determinou o cumprimento da pena após o esgotamento do juízo de 2ª instância, seguindo o precedente do STF e o atual posicionamento adotado pelo TRF4.
Lula é condenado

Lula é condenado em 2ª instância por 3x0

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, por unanimidade, decidiu por manter a condenação de Lula, elevando-se a pena inicialmente imposta.

Neste Quarta-feira, 24 de janeiro de 2018, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede no estado do Rio Grande do Sul, manteve a condenação do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, exarada pelo juiz Sérgio Moro no fatídico caso do tríplex.

A decisão unânime (3x0) a favor da manutenção da condenação e elevação da pena para 12 anos e 1 mês de reclusão em regime fechado (Moro havia o condenado a 9 anos e 6 meses) culminou na impossibilidade de a defesa do ex-presidente Lula opor de embargos infringentes ou embargos de nulidade.

Nesse senda, no âmbito do TRF4, resta à defesa a oposição de eventuais embargos de declaração.

Ademais, o ministro revisor, Paulsen, determinou o cumprimento da pena após o esgotamento do juízo de 2ª instância, seguindo o precedente do STF e o atual posicionamento adotado pelo TRF4.
Lula é condenado