Sempre transparente em suas posições, o deputado federal Vitor Valim afirma ter críticas à política de segurança pública do Governo Camilo. Daí, sempre defender a demissão do secretário de Segurança, André Costa. Vitor não mudou de comportamento mesmo com as tratativas entre o governador Camilo e o senador Eunício Oliveira, para uma aliança PT-PMDB no Ceará.

Pessoalmente, Vitor tem resistências a esse acordo eleitoral para 2018. Irá debater suas dúvidas dentro do partido. Porém, hoje em Brasília estranhou mais uma vez a “atitude subserviente e bajuladora” do deputado estadual Heitor Ferrér com o líder da oligarquia Ferreira Gomes, o ex-ministro Ciro Gomes.

Vitor indaga de Heitor por que virou o porta-voz de Ciro na Assembleia. “Não creio que o nobre deputado esteja se beneficiando de nada, mas fico com uma pulga atrás da minha orelha: qual a razão de Heitor ter sido o ungido por Ciro para ser o autor do projeto de extinção do TCM? Qual o motivo de Heitor estar contra a aliança do governador com o senador Eunício, se ele próprio votou em 2014 no Camilo, e tende a repetir o voto no ano que vem? Por que Heitor aceita fazer esse serviço sujo de Ciro de atacar agressivamente ao presidente do Congresso, Eunício Oliveira, quando sabe que Ciro não pode se manifestar contra o acordo que tem o aval de seu irmão, Cid Gomes, e é vontade de Camilo?”, questiona-se Valim.
Valim
Loading...

Mostrar Comentários Não mostra os comentários

Disqus Comments