No último sábado (16), o jornalista Kaio Cézar pegou todos de surpresa ao pedir demissão ao vivo no término do programa Globo Esporte da TV Verdes Mares – afiliadada Globo no Ceará. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o narrador e apresentador quebrou o silêncio, e revelou os fatores que culminaram na sua decisão, entre eles perseguição e assédio.

Kaio Cézar afirmou que foi perseguido pelo diretor Paulo César Norões e que ele até envolveu sua família em um caso de suposta traição, que acabou sendo ventilado após o seu anúncio de demissão.

“Olha, eu não fiz cálculo para tomar a atitude. A gota d’água foi eu perder espaço na TV Verdes Mares. Eu ia narrar o jogo de hoje e, no meio da semana, fiquei sabendo que não narraria mais. Dentro da empresa, era um narrador que não podia narrar. Na prática era isso. Então por que ficar? Por que não me deram as contas ou fizeram um acordo quando pedi para sair? Pedi demissão no ar porque foi a única opção que me deram”, disse disse o jornalista.

“Em relação aos casos de assédio, aconteceram. Não tenho provas materiais, claro. Ninguém espera com a câmera do celular ligada uma atitude estúpida de ninguém. Se ele me processar, irei procurar testemunhas. Se elas tiverem coragem de ir comigo, bom. Se não, reafirmarei o que disse. Pode acontecer o que for, mas reafirmarei. Porque é verdade”, acrescentou o jornalista.

Kaio Cézar fez questão de agradecer o apoio recebido por todos nas redes sociais, se mostrou preocupado por saber que muitos profissionais passam pela mesma situação.

“Eu só posso ficar agradecido. Não é fácil ter uma família, ter que abrir mão de uma trajetória de 15 anos – levando em conta o tempo de Aracati – e não saber para onde ir ou o que fazer amanhã. Acredito que o apoio vem porque as pessoas se identificam. Nesse sentido, é bacana por um lado e preocupante por outro”, falou Kaio.

Em nota publicada nas suas redes sociais, o jornalista acusa o diretor da emissora, PC Norões, de envolver a sua família no problema, ofendendo a sua esposa e seus dois filhos, e menciona que a sequência de assédios sofridos culminaram na sua decisão.

“Deixei para relatar o mais grave, que foge sobremaneira da esfera profissional. Em meio a tantos fatos que configuram perseguição, certa vez PC Norões se dirigiu à mim e proferiu ofensas à minha família que não as repito aqui porque tenho dois filhos, entre eles uma enteada, e poderia expor pessoas que não tem nada a ver com a história. Só adianto uma coisa, não tem nada a ver com traição da minha mulher, como inventaram de ontem pra hoje”, escreveu.
Jornalista afirma que perseguição e assédios foram determinantes para o pedido de demissão ao vivo no Globo Esporte

Jornalista afirma que perseguição e assédios foram determinantes para o pedido de demissão ao vivo no Globo Esporte

No último sábado (16), o jornalista Kaio Cézar pegou todos de surpresa ao pedir demissão ao vivo no término do programa Globo Esporte da TV Verdes Mares – afiliadada Globo no Ceará. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o narrador e apresentador quebrou o silêncio, e revelou os fatores que culminaram na sua decisão, entre eles perseguição e assédio.

Kaio Cézar afirmou que foi perseguido pelo diretor Paulo César Norões e que ele até envolveu sua família em um caso de suposta traição, que acabou sendo ventilado após o seu anúncio de demissão.

“Olha, eu não fiz cálculo para tomar a atitude. A gota d’água foi eu perder espaço na TV Verdes Mares. Eu ia narrar o jogo de hoje e, no meio da semana, fiquei sabendo que não narraria mais. Dentro da empresa, era um narrador que não podia narrar. Na prática era isso. Então por que ficar? Por que não me deram as contas ou fizeram um acordo quando pedi para sair? Pedi demissão no ar porque foi a única opção que me deram”, disse disse o jornalista.

“Em relação aos casos de assédio, aconteceram. Não tenho provas materiais, claro. Ninguém espera com a câmera do celular ligada uma atitude estúpida de ninguém. Se ele me processar, irei procurar testemunhas. Se elas tiverem coragem de ir comigo, bom. Se não, reafirmarei o que disse. Pode acontecer o que for, mas reafirmarei. Porque é verdade”, acrescentou o jornalista.

Kaio Cézar fez questão de agradecer o apoio recebido por todos nas redes sociais, se mostrou preocupado por saber que muitos profissionais passam pela mesma situação.

“Eu só posso ficar agradecido. Não é fácil ter uma família, ter que abrir mão de uma trajetória de 15 anos – levando em conta o tempo de Aracati – e não saber para onde ir ou o que fazer amanhã. Acredito que o apoio vem porque as pessoas se identificam. Nesse sentido, é bacana por um lado e preocupante por outro”, falou Kaio.

Em nota publicada nas suas redes sociais, o jornalista acusa o diretor da emissora, PC Norões, de envolver a sua família no problema, ofendendo a sua esposa e seus dois filhos, e menciona que a sequência de assédios sofridos culminaram na sua decisão.

“Deixei para relatar o mais grave, que foge sobremaneira da esfera profissional. Em meio a tantos fatos que configuram perseguição, certa vez PC Norões se dirigiu à mim e proferiu ofensas à minha família que não as repito aqui porque tenho dois filhos, entre eles uma enteada, e poderia expor pessoas que não tem nada a ver com a história. Só adianto uma coisa, não tem nada a ver com traição da minha mulher, como inventaram de ontem pra hoje”, escreveu.
Jornalista afirma que perseguição e assédios foram determinantes para o pedido de demissão ao vivo no Globo Esporte