Tecnologia do Blogger.

Últimas Notícias

Salário mínimo vai subir para R$ 979 em 2018

Em relação ao valor atual, o aumento é de aproximadamente 4,5%. A lei foi publicada com mais de 40 vetos

Brasília. O presidente Michel Temer sancionou, com vetos, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2018 com mais de 40 vetos. A lei, aprovada pelo Congresso Nacional em julho, foi publicada com vetos nessa quarta-feira (9) no Diário Oficial da União. A LDO de 2018 define o aumento de 4,5% no salário mínimo, dos R$ 937 deste ano para R$ 979 em 2018, um aumento de 4,5%. Na mensagem presidencial enviado ao Senado, o governo justifica que vetou alguns pontos por "contrariedade ao interesse público e inconstitucionalidade".

A LDO de 2018 admite um déficit primário de R$ 129 bilhões para o governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) no ano que vem, equivalente a 1,78% do Produto Interno Bruto (PIB) previsto. Para o setor público consolidado, quando são considerados estados, municípios e empresas estatais, o déficit sobe para R$ 131,3 bilhões, equivalente a 1,8% do PIB estimado para o ano. As projeções apontam para um crescimento real de 2,49% na economia brasileira no ano que vem.

Para 2019 e 2020, esta dinâmica deverá se manter com altas de 2,49% e 2,58%, respectivamente. Já a inflação deve ficar em 4,5% - dentro da meta estabelecida pelo governo, e a taxa básica de juros (Selic) em 9%.

Vetos

Um dos vetos inclui a conclusão de obras inacabadas com percentual de execução física superior a 50% e as ações relativas a iniciativas como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o Plano Brasil Sem Miséria, o programa de promoção da igualdade e ao enfrentamento à violência contra a mulher de 2018 e a implantação do Acordo de Paris sobre Clima. Entre as razões para o veto, Temer alegou que a ampliação de prioridades "dispersa os esforços do governo para melhorar a execução, o monitoramento e o controle de suas prioridades já elencadas afetando, inclusive, o contexto fiscal que o País enfrenta".

Também foi vetada a reserva de parte do Orçamento para o pagamento de salários de agentes comunitários de saúde e para a conclusão de hospitais regionais. Na educação, foi retirada da LDO a obrigatoriedade de alocação de recursos para cumprir as metas do Plano Nacional de Educação. Entre as razões para esses vetos, está a necessidade de flexibilizar a destinação dos recursos do governo.

Outro veto foi em relação a obrigação da União de disponibilizar consulta informatizada unificada de todas as obras custeadas pelo orçamento de 2018. Temer alegou que tal medida é desnecessária, pois já existem mecanismos de transparência e monitoramento dos programas mais relevantes do governo.

O texto enviado pelo Congresso proibia o reajuste de servidores públicos posterior ao término do mandato presidencial vigente. Essa proibição foi vetada , porque "prejudica a negociação das estruturas salariais". 
Salário mínimo vai subir para R$ 979 em 2018

Salário mínimo vai subir para R$ 979 em 2018