Tubarão se agiganta e arranca empate nos acréscimos

tubarao-se-agiganta-e-arranca-empate-nos-acrescimos

Acreditar até o fim é uma das maiores virtudes no futebol, mesmo quando o panorama pareça praticamente irreversível. E o Ferroviário, mesmo com um jogador a menos após a lesão de Maxuell, catalisou suas últimas forças na partida e empatou o jogo com o Fortaleza aos 48 do 2º tempo com o bravo Mimi, para explosão da torcida coral.

O empate em 1 a 1 premiou a insistência do Tubarão da Barra e manteve a vantagem da equipe nos playoffs com o Leão. Após uma vitória e um empate, o Ferrão joga por uma nova igualdade no dia 19, às 21h45 no Castelão, para chegar à final do Campeonato Cearense.



    Ao Fortaleza, que recebeu um duro golpe nos minutos finais e outro no fim do jogo de sua torcida, que protestou na porta do vestiário chamando o time de 'sem vergonha', resta vencer no tempo normal para forçar uma decisão nos pênaltis.

    Durante o protesto, alguns manifestantes cercaram os jogadores, empurrando grades, até que foram interceptados pela Polícia Militar, que fazia segurança da partida. Os agentes de segurança tiveram de usar spray de pimenta e bala de borracha para conter os torcedores, que se dispersaram.

    Após vencer no 1º jogo dos playoffs por 2 a 0 e estar em vantagem no confronto, o Ferroviário iniciou o partida com a estratégia de esperar o Fortaleza e contra-atacar.

    E assim, fechado, o time coral não conseguia criar, mas dificultou bastante as investidas do Leão do Pici, que com o meio campo com cinco jogadores e apenas Zé Carlos na frente, pouco incomodava a meta coral. Mas aos 27 minutos, o jogo que era morno - exceto pelo grande número de faltas - ganhou em emoção após chute de longe - e despretensioso - de Anderson Uchôa que o goleiro Mauro aceitou, abrindo o placar para o Leão: 1 a 0.

    Após o gol, os times trocaram de estratégia, agora com o Ferroviário buscando o ataque e o Fortaleza os contragolpes, com o Leão desperdiçando alguns até o fim do 1º tempo.

    Emoção
    Na etapa final, o Fortaleza voltou mais agressivo e logo no início, aos 7 minutos, quase ampliou o placar em chute de Wesley, mas Mauro se redimiu com boa defesa.

    Mesmo melhor no jogo, o Leão permitia algumas investidas corais e em uma delas, Assisinho perdeu boa chance, aos 18 minutos, errando o alvo ao receber bom passe de Mimi.

    Em outra boa investida coral, Valdeci cobrou falta e Marcelo Boeck fez bela defesa, em bola que ia no ângulo.

    Foi quando uma infelicidade do atacante Maxuell deixou o Ferroviário em inferioridade numérica: aos 34 minutos, o atleta torceu o joelho e, como o técnico Vladimir de Jesus já havia feito as três alterações, o time teria que continuar a partida com dez jogadores.

    Com isso, o Fortaleza passou a controlar o jogo e perdeu gol incrível com Gabriel Pereira aos 40 minutos, que faria muita falta a seguir.

    Nos minutos finais, o Ferroviário, mesmo sem tanta força ofensiva, conseguia rondar a área leonina na bola aérea e chegou ao empate aos 48 do 2º tempo: após cruzamento rasteiro, Max Oliveira furou, a bola sobrou para Mimi que mandou a redonda para as redes, ainda batendo nas duas traves. Era o empate coral, para explosão de sua torcida e desespero da tricolor, que viu a vitória escapar mesmo com um jogador a mais. Informações diário do nordeste 

    Compartilhe esta notícia